Sorteio 97 anos de Cruzeiro

sorteio_camisa_cruzeiro

Dia 2 de janeiro de 2017, o Cruzeiro completará 97 anos de muitas conquistas…

E quem ganhará presente é VOCÊ!!!!! [ Serão 3 Ganhadores]

REGRAS OBRIGATÓRIAS:

🔺Seguir @acervodocruzeiro
🔺Seguir @loja_guerreiros_dos_gramados
🔺Seguir @sampa_azul
🔺Seguir @multicampeao1921
🔺Marcar 03 amigos nos comentários (se não for amigo, será desclassificado)

🎁PRÊMIO 1º GANHADOR: 01 Camisa oficial Penalty do Cruzeiro 2015 branca.
🎁PRÊMIO 2º GANHADOR: 01 Cachecol evolução dos escudos
🎁PRÊMIO 3º GANHADOR: 01 Livro do Mito Raul Plassmann

RESULTADO DIA 02/01/18,aniversário do nosso amado clube, em uma live que ficará disponível por mais 24hrs após o resultado.

🔓 É obrigatório estar com o PERFIL PÚBLICO para validação. Se o sorteado estiver com perfil privado, não será aceito e realizaremos um novo sorteio na hora!
– 🚫Proibido marcar perfis fakes, famosos, usuários inativos ou pessoas desconhecidas! Será verificado após o sorteio.

Envio pelos Correios com frete grátis e a combinar com um dos organizadores do sorteio.

🔰 Sorteio válido em território nacional –
📝 O sorteio será realizado pelo sistema online de sorteio e divulgado no Stories no dia!

❗QUANTO MAIS AMIGOS MARCAR MAIS CHANCES TEM DE GANHAR! Cada marcação com 03 amigos equivale a 01 ticket de sorteio.

⚠Será verificado se o sorteado cumpriu as regras descritas! Se houver descumprimento das regras, será realizado um novo sorteio na mesma data

Sorteio!!! Procure a página @acervodocruzeiro no Instagram e participe.

Fim de festa

Fimdefesta

Em dia de churrasco da Sampa Azul, o torcedor celeste que mora em São Paulo estava como o Cruzeiro: ganhando, empatando ou perdendo, ainda assim estaria no lucro.

A galera que lotou o evento viu o Cruzeiro ter a proeza de perder para o péssimo time do Vasco no último jogo do ano no Mineirão.

O Vasco iniciou o jogo subindo a marcação, mas em poucos minutos o Cruzeiro já era senhor da partida, mesmo sem ter atacante de referência. Um gol de bola parada feito pelo zagueiro Paulão aos 20 min decretou a vitória do time carioca.

Depois do gol, o Cruzeiro teve inúmeras chances de empatar a partida no primeiro tempo, e outras diversas chances no segundo tempo também. Mas quando a pontaria não falhava, Martin Silva fechava o gol adversário. Melhor em quase tudo, o Cruzeiro perdeu na única estatística que realmente conta: bola na rede.

Era a chance de garantir de vez o 5º lugar do campeonato e uma premiação melhor. Agora, na última rodada, a Raposa precisa de – pelo menos – um empate para não perder posições para Flamengo e o próprio Vasco.

No final da festa de 2017, seria melhor fechar o ano com uma vitória no Mineirão. Mas a esta altura, mais valem os votos de um 2018 promissor.

Para todos que compareceram ao churrascão da Sampa Azul hoje, deixo aqui o nosso muito obrigado. Foi sensacional estarmos juntos, com muita alegria, sorteio de prêmios, Cruzeirão em campo, muita bebida e comida.

De verdade, foi show de bola.

(Por E.M.)

Nem lá, nem cá.

Nem la nem ca

Nem lá, nem cá. Sem pretensões e também sem T. Neves, Robinho, Manoel, Ezequiel e o já vendido D. Barbosa, o Cruzeiro começou o jogo mais lento, assistindo ao Vitória – ameaçado pelo rebaixamento – buscar as ações do jogo.

Embora mais ativo, o Vitória não conseguia fazer grandes pressões. Foi então que Bryan deu uma mãozinha e o time baiano fez o seu de pênalti.

Depois de tomar o gol, a Raposa despertou e passou a jogar melhor. Quando Jonata – que ainda não acrescenta muito ao time – saiu, Elber entrou e o time fez uma blitz do adversário. Teve bolas na trave e até um gol, depois de chute de Henrique que explodiu na trave e entrou, mas o árbitro de fundo não viu. (Pronto: podem dispensar o assoprador da linha de fundo pois ele não serve para nada… rs)

O gol de empate ficou mesmo para o segundo tempo. Depois de seguir melhor na partida, Alisson fez de peixinho o tento que igualou o placar. Na comemoração, o jogador tirou a camisa e levou cartão amarelo, algo inadmissível para um jogo morno e sem importância para o Cruzeiro.

1×1 foi o placar final da partida num dia que provou: nem sempre quem faz mais gols vence.

Gostei do empenho do Bryan. Atitude nunca lhe faltou no Cruzeiro. Só falta futebol de vez em quando… rs Galhardo foi bem ofensivamente, mas hoje foi mais exigido e se mostrou muito lento na marcação, o que acendeu um sinal de alerta.

Faltam 2 jogos para as férias, o que faz do Churrasco da Sampa Azul – domingo que vem – o evento mais importante para o Cruzeiro no final do ano.

E aí, você vai participar conosco?

Vamos Cruzeiro

(por E.M.)

Eh, Judivan!

Judivan

E o resultado do jogo fica em segundo plano. No momento mais bonito do dia, a solidariedade do time com o garoto Judivan roubou a cena e vale muito mais que 3 pontos.

Mas chegaremos lá.

Já de férias e ainda digerindo a venda do Diogo, o Cruzeiro entrou em campo para experiências ao enfrentar um Avaí blocado na defesa, apostando tudo numa bobeira celeste.

Sabedoria ou estudo de caso? O fato é que mais uma vez essa bobeira aconteceu e o Avaí achou um gol em pênalti (que pra mim, não foi) de Henrique em Rômulo. Jr. Dutra bateu e abriu o placar.

Depois do gol o Cruzeiro pressionou, teve um pênalti não marcado em Rafinha, mas o empate ficou para a segunda etapa, aos 13, quando Diogo Barbosa cruzou para T. Neves empatar a partida.

Aos 29, Judivan entrou em campo para delírio da galera. Aos 30, o juiz marcou pênalti (que não foi) em Robinho, que imediatamente deu a bola para o garoto bater. Na cobrança ele não decepcionou e fez seu 1º gol, menos de 1 minuto depois de retornar de uma lesão que o tirou de campo por 2 anos.

A parte mais bonita foi a maneira com que o time e a torcida abraçaram o Judivan. Definitivamente o ponto alto do jogo.

Para variar novamente, já nos acréscimos, com o jogo controlado, um cochilo na saída de bola e o Avai rouba o lance, Caio César lança Jr. Dutra que cabeceia para fazer o empate. 2×2 no placar e assim ficou até o apito final do juiz.

No laboratório, fica ponto positivo para Galhardo. Em que pese o fato de o adversário ser o Avaí e nossa referência o Ezequiel, sua presença ofensiva e qualidade de passe agradaram muito. Saiu cansado. O menino Jonata teve uma oportunidade justa, necessária, mas não conseguiu ainda brilhar. Terá novas chances.

T. Neves e Diogo Barbosa foram os jogadores que mais me agradaram, enquanto Romero anda um pouco displicente no meio campo.

Agora é seguir amargurando a expectativa pelo período de entressafra, torcendo para não perdermos mais peças e para a chegada de improváveis reforços de peso.

Wagner prometeu presentes para o Natal. Gilvan sinalizou a volta do Egídio (nunca critiquei… rs). E aí, caro torcedor, o que você espera do fim do ano?

(por E.M.)

E lá se vai o melhor lateral esquerdo do Brasil

diego_barbosa_vendido

Sondagens por Rafinha do Bayern ou por Lucas do PSG? Durma com a notícia da venda do Diogo Barbosa!

Escolha o que te dá mais raiva: perder o melhor lateral do Brasil, reforçar um rival direto, ver escancarada a crise financeira do Cruzeiro ou todas as alternativas juntas?

É um choque de realidade revoltante: o dinheiro fictício de banco imobiliário – aquele com o qual o Cruzeiro contrata mas não paga – acabou. Com ele e a postura do Gilvan, a credibilidade da Instituição para captar recursos também, deixando a Raposa sem alternativas, para segurar o jogador mediante a proposta dos Porco.

A vontade do Palmeiras em ser Cruzeiro é abalizada pela ‘pagação’ de pau do Mattos e o dinheiro da Crefisa. Junta-se isso ao despreparo da nossa diretoria e o resultado é este: Diogo se foi.

Reforçar o time era sonho, mas manter a equipe para a Libertadores era o mínimo. De todas as peças, lateral é artigo raro. Não na Toca, mas no futebol Brasileiro. Diogo vestiu a camisa e o sentimento do torcedor celeste. Será uma perda duplamente sentida.

Tite deu a letra: é questão de tempo para Diogo ser convocado, ou seja, até como investimento era importante mantê-lo. Difícil conviver com esta incapacidade do Cruzeiro em ser campeão sem pagar um preço alto por isso.

Se ‘campeonar’ não é o atalho para ter mais dinheiro no futebol, não sei mais o que é. Além da bilheteria, cada fase da Libertadores em 2018 paga um caminhão de dinheiro. Ter um time forte é pré-requisito até pensando até no lado financeiro.

A notícia é amarga e pode ser a premonição de muitas perdas mais. Hudson é outro jogador que o Cruzeiro valorizou, que em teoria seria ‘fácil’ adquirir, mas que corre risco de não continuar. Cá entre nós, entre o volante e o lateral, está cristalino a posição onde temos mais recursos.

Imagino a ‘felicidade’ do Mano com a notícia.

E assim o Gilvan deixará o cargo, dando aquela cagadinha de leve antes de entregar as chaves do brinquedo para seu sucessor.

Tá de parabéns, Gilvan.
#SQN.

Segura essa nação celeste.

(por E.M.)